segunda-feira, 21 de março de 2022

SINDROME DE DOWN - JUSSARA, VOLTADA A PROJETOS DE INCLUSÃO. Secretaria de Assistência Social e Secretaria de Saúde iniciam projetos de inclusão, à partir do segundo semestre de 2022. CRAS, já acompanha pessoas pelo PAIF -Programa de Proteção e Atendimento Integral à Família.


Um cromossomo a mais não deve ser encarado como sinônimo de saúde a menos. Até porque Síndrome de Down não é doença. Trata-se de uma condição genética que vem acompanhada de algumas peculiaridades como hipotonia, a diminuição da rigidez dos músculos e déficit cognitivo. Esta condição genética, que ocorre durante a divisão celular em um óvulo, resultando em um par extra no cromossomo 21, chamado trissomia.

De forma geral, pessoas com essa síndrome têm muitas capacidades, só que precisam de mais tempo e incentivo para desenvolvê-las e os direitos das pessoas com essa síndrome são garantidos pela Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, que o Brasil ratificou com força constitucional, e pela Lei Brasileira de Inclusão.

O Governo de Jussara, tem uma grande preocupação com as inclusões e a valorização. A Prefeita, Maria Idali, desde o tempo de vereadora, cria projetos como o da Equoterapia João Lucas, que investe  

A Secretaria de saúde de Jussara, inicia no segundo semestre de 2022, os projetos de mapeamento e trabalhos específicos com as pessoas portadoras da síndrome, residentes em nossa cidade.

Ao mesmo tempo que a Assistência Social, acompanha pessoas com síndrome de down, onde participam de programas como PAIF -Programa de Proteção e Atendimento Integral à Família. 

A inclusão, é uma das bandeiras levantadas por essa gestão, as pessoas com síndrome de Down têm ensinado o mundo sobre inclusão. Hoje, estão nos bancos das escolas, são professores, empresários, atores, jornalistas, vendedores, fotógrafos e muitas outras profissões ocupando um lugar na sociedade com sua própria posição digna

Segundo o IBGE, cerca de 300 mil pessoas no Brasil têm síndrome de Down. A inclusão desses indivíduos na vida escolar e profissional aumenta as possibilidades de desenvolvimento, além de reforçar a necessidade de a sociedade respeitar as diferenças, sejam elas quais forem.

 O Dia Internacional da Síndrome de Down, comemorado em 21 de março, sugere 3 cromossomos no 21º par, o que é característico de pessoas com síndrome de Down. A data está no calendário oficial da Organização das Nações Unidas (ONU) e é comemorada pelos 193 estados membros da Organização das Nações Unidas para conscientizar a população sobre a importância de lutar pela igualdade de direitos.




         Marnei Gazineu

             CEO-MG Produtora
     Assessoria Comunicação Social
    @marnei.gazineu.mg3produtora 

Nenhum comentário:

Postar um comentário